Campanha Anti-Plágio

Pamela Chris

quarta-feira, 11 de julho de 2012

A Intuitiva - Hannah Howell

Não tenho muito o que falar. Apenas que gostei bastante da série e que estou ansiosa pelo 4° e (droga!) último livro.

"UMA HISTÓRIA SOBRE COMO O PODER DO DESTINO E DO DESEJO PODE REALIZAR COISAS APARENTEMENTE IMPOSSÍVEIS. Estamos na Inglaterra, no século XVIII. Assim como a maioria de seus familiares, a bela e jovem Alethea Vaughn Channing possui dons especiais. Desde pequena ela tem visões recorrentes de um homem desconhecido. Passados 15 anos desde a primeira visão, ela prevê um risco iminente de morte. Ela precisa encontrá-lo, contar sobre sua visão e convencê-lo de que corre perigo… Mas quem acreditaria numa estranha com uma conversa dessas? Ainda sob um ceticismo inicial, ele percebe sinceridade na desconhecida e, agindo emocionalmente, decide acreditar na estranha para tentar novamente descobrir o paradeiro de seus dois sobrinhos, que desapareceram após a trágica morte de sua irmã e do esposo. Durante essa busca, começa então a florescer uma forte admiração entre os dois, até surgir a perigosa Claudete, uma antiga amante de Hartley, e que Alethea descobrirá estar entre as pessoas mais ameaçadoras da alta sociedade de Londres. Então, a sua vida também passa a correr perigo e ela precisará mais do que nunca de seus poderes para garantir a sua segurança."

Nota:




Em uma palavra: Empolgante.
Não sei muito em como resenhar esse livro sem que seja semelhante aos outros da série. A história é quase a mesma: uma moça com um dom se apaixona por um homem que desacredita nela, e há sempre a mesma tentativa de assassinato.
A trama não é muito elaborada, menos do que nos outros livros, e acho que a autora devia explorar bem mais os personagens. Adoraria saber mais sobre eles... Assim como o grande número de personagens nos deixa um pouco confusas.
O surpreendendo é que, mesmo com todos esses defeitos eu não conseguia parar de ler o livro. Na verdade só fui pensar nessas falhas enquanto refletia para a resenha. Sem falar que era como se eu estivesse mesmo no ano de 1700 e bolinhas. A autora descreve a época tão bem que era como se ela própria tivesse vivido naquela época. Me sinto quase transportada.
E mesmo que eu sentisse falta de um final inesperado, o livro se tornou extremamente agradável. Até agora não entendo porque gostei tanto da série, mas a escritora consegue nos cativar de uma maneira diferente e única.

BJS


Um comentário:

  1. Ei Pam!
    Eu tenho os dois primeiros livros dessa série aqui, que eu ganhei de aniversário, mas ainda não li, apesar de ter achado as capas um charme!
    A história parece ser muito boa mesmo!
    Tenho novo post tb! Comenta?
    http://www.livroserabiscos.com/2012/07/siobhan-vivian-nao-sou-este-tipo-de.html

    ResponderExcluir

Outros livros:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...